Logo Biosana's Serviços de Saúde

Telefone Biosana's Serviços de Saúde
(11) 5904 1199

BLOG

Vacinação pós Transplante de Medula Óssea
Vacinação pós Transplante de Medula Óssea
Vacinação pós Transplante de Medula Óssea

Durante o transplante de medula óssea, ou transplante de células-tronco hematopoiéticas (TCTH), o paciente recebe quimioterapia em altas doses, que destrói praticamente todo o seu sistema imune, com o objetivo de prepará-lo para receber as novas células-tronco hematopoiéticas.

Neste processo, diversos componentes dos mecanismos de defesa são prejudicados, e ocorre a perda da memória imunológica acumulada durante toda a vida através da exposição a agentes infecciosos e vacinação.

Após o transplante, o estado de imunodeficiência coloca o receptor de TCTH em risco aumentado para infecções provocadas por uma variedade de microorganismos, alguns dos quais podem ser prevenidos através da vacinação.  Por este motivo, a revacinação é indicada no período pós-transplante.

Algumas das doenças imunopreveníveis são: sarampo, caxumba, rubéola, tétano, poliomielite, alguns tipos de gripe e de pneumonias.

O Brasil possui um Programa Nacional de Imunização (PNI), ativo e gratuito, para toda a população brasileira. Os Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIEs) gerenciam a imunização de pacientes imunocomprometidos e a distribuição dos imunobiológicos especiais distribuídos regionalmente em todo o país.

A revacinação geralmente inicia de 4 a 6 meses após o transplante, conforme indicação do médico que acompanha o paciente, e dependerá do estado de saúde e dos medicamentos em uso.  IMPORTANTE: É fundamental que o paciente seja avaliado e liberado pelo seu médico antes de receber vacinas de vírus vivos atenuados (ex.: Sarampo, Febre amarela).

Converse com o seu médico. A vacina protege a vida. Prevenção não tem idade. Não coloque sua vida e de quem ama em risco.

 

 

Referência:

- SAÚDE M. 2014. Manual dos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais. 4ª edição, 2014. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Brasília, 2014. Pág49-50. Disponível em: <http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2014/dezembro/09/manual-cries-9dez14-web.pdf>

- SILVA, P.M. Dificuldades encontradas no programa de revacinação dos pacientes submetidos ao transplante de células tronco hematopoiéticas. 2016. Dissertação (Mestrado em Pesquisa e Desenvolvimento - Biotecnologia Médica FMB) - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” Faculdade de Medicina, Botucatu, 2016. Disponível em: <http://hdl.handle.net/11449/134356>.

Posts por categorias
Posts mais Lidos
Voltar ao Topo